O cultivo da cultura da cevada apresenta uma série de vantagens que atrai o produtor: 1ª liquidez de mercado com definição de preço antes mesmo da semeadura; 2º a cultura apresenta maior resistência comparada ao trigo quanto a doenças fúngicas, como por exemplo, o oídio; 3ª precocidade no desenvolvimento, ajustando-se melhor ao calendário dos cultivos de verão; 4º o cultivo da cevada na rotação de culturas atua na quebra de ciclos de doenças da soja e feijão, (5º) com deposição de palha de qualidade para o plantio direto.

Além destas vantagens, ainda há uma motivação adicional para a escolha do cultivo da cevada pelo produtor. Segundo pesquisa publicada em 2020 pela Barth-Haas Group, o Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja no mundo, com o consumo de mais de 1,6 milhão de tonelada de cevada ao ano, onde cerca de 68% é importada. Este grande crescimento da demanda gera forte interesse pela produção nacional de cevada. Diante deste cenário animador, é imprescindível entendermos um pouco mais sobre esta cultura e assim obter ótima rentabilidade e qualidade do produto final, já que para atingirmos o padrão de qualidade cervejeira é necessário +95% de germinação dos grãos.

Produtividade e qualidade da cevada

A produtividade e qualidade da cevada é formado por três pilares: ambiente (clima), genética e manejo do cultivo. Apesar do zoneamento climático para a cultura estar limitado às regiões mais frias do sul do Brasil (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná), o cultivo da cevada tem se expandindo para outros estados, inclusive para o cerrado brasileiro com ótimos resultados. Já para a escolha da melhor genética, é importante considerar algumas características agronômicas como ciclo das cultivares, altura e reação ao acamamento e às principais doenças comuns na região para a tomada de decisão. Hoje estão disponíveis no mercado cultivares com diferentes níveis de tolerância à doenças e acamamento.

O terceiro e mais denso pilar está ligado ao manejo, onde todos os tratos culturais da área, manejo de solo, população de plantas, época de semeadura, fertilidade do solo, se encontram. A cevada apresenta menor tolerância ao alagamento e solos de baixa fertilidade que o trigo. Por este motivo, a atenção principal deve ser voltada a descompactação, drenagem e ao status nutricional do solo. A adubação também é ponto de extrema importância tendo visto a produtividade e qualidade dos grãos para a indústria. Fertilizantes de Performance desempenham muito bem este papel por apresentarem alta tecnologia de liberação de nutrientes, aumentando a nutrição das plantas do início ao fim do ciclo.

Produtos Mosaic e potencial produtivo

A linha de produtos de Performance da Mosaic Fertilizantes é formada pelo MicroEssentials, K-Mag e Aspire. O MicroEssentials fornece fósforo com alta solubilidade e eficiência, além de conter duas formas de enxofre (elementar e sulfato) para fornecimento durante todo o ciclo da cultura. No K-Mag encontramos o fornecimento de magnésio altamente solúvel e baixa concentração de cloro, características importantes para aumentar a produção de açúcares na planta e a qualidade final da colheita. Já no Aspire, estaremos disponibilizando às plantas duas fontes de boro durante todo o ciclo, via solo para a melhor absorção pelas raízes e para garantir a formação das estruturas florais e enchimento de grãos.

Eleve sua nutrição a outro nível com a linha Performa – Perfoma Neo, Perfoma Plus, Perfoma Ultra, Perfoma Full – fertilizantes que combinam todas as tecnologias já renomadas de Performance da Mosaic Fertilizantes.

A cevada é um dos cereais mais antigos do mundo e hoje representa a cultura com maior potencial de expansão devido à produção de malte para a fabricação da cerveja e outros fins, incluindo preparo de ração animal. O mercado da cevada prima pela alta qualidade de grãos. Esse fator dependerá de um manejo que supra as exigências da cultura, através de um cuidadoso manejo fitossanitário, genética e solos com alta fertilidade. 

Loading...