O potencial produtivo da soja basicamente depende da maximização dos fatores bióticos e abióticos de produção, favoráveis em cada ambiente. Alguns deles, podem parcialmente ser controlados pelo homem, como a irrigação, pragas e doenças e a nutrição das plantas. O uso de novas tecnologias no setor de fertilizantes, conduz a um adequado fornecimento de nutrientes, sendo a base fundamental para o suporte e manutenção do potencial produtivo oferecido pela genética da semente.

A estrutura morfológica da soja é ponto chave para altas produtividades. Durante o desenvolvimento inicial, a alta concentração de nutrientes na rizosfera determinará o tamanho das primeiras folhas, possibilitando o desenvolvimento rápido da planta. Ainda, durante o estádio vegetativo a planta determinará o número de nós no caule e de ramos, onde por sua vez definirá o número total de flores a serem emitidas. O número de flores apresenta a mesma associação com o número total de legumes e grãos. Uma planta bem nutrida durante todo o ciclo, entenderá que a mesma está preparada morfologicamente e nutricionalmente para suportar seu máximo potencial produtivo.

E foi assim que o recorde brasileiro em produtividade de soja no CESB foi alcançado com a utilização de MicroEssentials (safra 2016/17, produtividade de 8.940 kg/ha ou 149 sc/ha de soja). Criado em um processo exclusivo e patenteado, o MicroEssentials é um fertilizante de alta performance que libera o enxofre de maneira gradual, desde a emergência até a colheita. Isso é possível graças às duas formas de enxofre presentes no produto (parte de liberação imediata e parte de liberação gradual). Além do enxofre este fertilizante entrega fósforo de excelente qualidade e solubilidade e nitrogênio amoniacal, nutrientes decisivos para a produção de soja. Bem nutridas do início ao fim do ciclo, as plantas respondem com pleno e vigoroso desenvolvimento vegetativo e reprodutivo, possibilitando a expressão do máximo potencial produtivo.

Fernando Hansel

Fonte:

THOMAS, A.L.; COSTA, J.A. Soja: manejo para alta produtividade de grãos. Porto Alegre: Evangraf, 2010.

ARANTES, N.E.; SOUZA, P.I.M. Cultura da soja nos Cerrados. Piracicaba. Potafós, 1993.

http://www.cesbrasil.org.br/case-campeao-nacional-e-regional-sul-safra-20162017/

Loading...