Você sabe o que é NPK e como usar seus benefícios na nutrição de plantas?  Neste artigo vamos explorar um pouco mais sobre o que são macro e micronutrientes, adubos orgânicos e inorgânicos, uso do NPK para plantas, suas principais formulações e como saber as quantidades ideais para uso. 

O que é NPK para plantas?

NPK para plantas é um composto de macronutrientes primários, ou seja, são nutrientes que a planta necessita em maior quantidade. Sua sigla quer dizer: N (nitrogênio), P (fósforo) e K (potássio). 

Para que as culturas atinjam melhor potencial de crescimento, desenvolvimento e produção, é muito comum que os fertilizantes tenham essa combinação – podendo variar com outros nutrientes e formulações, dependendo da planta a ser cultivada, do estágio da cultura e da análise do solo da região de plantio.

Leia também: Qualidade do café: por que a nutrição aumenta a lucratividade?

O que são macronutrientes e micronutrientes

As plantas, assim como os seres humanos, precisam de nutrientes para se manterem vivos. Na agricultura, é bastante comum falar sobre macro e micronutrientes, mas o que significa isso? Na prática, macronutrientes são os que a planta necessita em maior volume. Em geral, são eles: N (nitrogênio), P (fósforo), K (potássio), Ca (cálcio), Mg (magnésio) e S (enxofre).

Já os micronutrientes são exigidos em menor demanda pelas plantas, mas eles são tão importantes quanto os macronutrientes para um desenvolvimento saudável de uma cultura. Como exemplo de micronutrientes, podemos citar: (B) boro, (Cu) cobre, (Zn) zinco, (Mn) manganês, (Mo) molibdênio, (Cl) cloro, (Fe) ferro e (Ni) níquel, entre outros.

Adubos orgânicos e inorgânicos

Para obter tais nutrientes, existem 2 possíveis fontes: orgânica ou inorgânica (mineral). O adubo orgânico advém de resíduos de animais e vegetais, que através do processo de decomposição natural, liberam os nutrientes desejados.

O adubo inorgânico ou fertilizante químico é produzido através de processo extração mineral de vários tipos de rocha, como exemplo as potássicas e fosfatadas, ou subproduto da extração de outros elementos e retirados diretamente da natureza através de processos industriais.

Ambos são excelentes opções, mas a indicação de utilização difere como base na necessidade, tamanho de área e velocidade esperada para o resultado. Em geral, o adubo mineral apresenta resultados mais rápidos. 

O adubo orgânico também apresenta, a depender do tipo de matéria-prima utilizada, a desvantagem de contaminar o solo com agentes infecciosos, por isso, sempre consulte um agrônomo para entender a melhor opção para a sua lavoura.

Para que serve o NPK para plantas

Agora que já entendemos um pouco mais sobre algumas classificações de adubos e fertilizantes, vamos compreender como cada elemento pode atuar nas plantas e, como consequência, quais são os ganhos relacionados na utilização dos mesmos:

O nitrogênio (N) é o grande responsável pelo crescimento da planta, contribuindo para o surgimento de brotos e folhas, agindo diretamente no seu desenvolvimento radicular. Tal macronutriente é de suma importância para a composição da clorofila, que é o que permite com que as plantas realizem fotossíntese.

Já a deficiência de nitrogênio pode prejudicar o crescimento da planta, ressaltando que esse elemento é bastante exigido nos estádios iniciais. Também vale dizer que as folhas podem ficar amareladas, principalmente as inferiores – que são as mais velhas.

O fósforo (P) contribui significativamente para a floração e frutificação das plantas. Ele é capaz de conferir maior resistência estrutural e é essencial em todo o ciclo de vida das plantas, desde o plantio até a colheita. Aqui no Brasil de forma geral, vemos baixa disponibilidade de fósforo nos solos, o que limita bastante a produção vegetal.

Por outro lado, quando o fósforo não está nas quantidades ideais, as folhas inferiores ficam arroxeadas e em seguida podem necrosar ocasionando sua queda de forma prematura. Isso também pode resultar em uma frutificação tardia.

Já o potássio (K) apoia na resistência vegetal. Assim como nós, as plantas não ficam imunes às pragas por estarem bem nutridas, mas temos como nos fortalecer para sofrermos menos impacto de fatores bióticos. Tal macronutriente também está associado com a qualidade, pois influencia diretamente no tamanho, cor, qualidade e até mesmo no sabor dos frutos.

E quando falamos do potássio insuficiente, observamos que desenvolvimento radicular é prejudicado. Também podemos perceber plantas com aspecto “queimado” nas bordas e com crescimento mais moroso. Esses sintomas costumam aparecer primeiro nas folhas mais velhas.

Principais formulações de NPK

Há várias formas de se fechar um formulado e diversas composições são bem conhecidas pelos produtores rurais. No site Nutrição de Safras existe uma calculadora que mostra diferentes formulações, acesse aqui para conferir.

  • NPK 04-14-08
  • NPK 08-08-08
  • NPK 10-10-10
  • NPK 04-14-08
  • NPK 15-15-20
  • NPK 20-20-20
  • NPK 20-10-10
  • NPK 20-05-20
  • NPK 25-25-25

Qual a quantidade ideal de NPK para plantas

Para responder a tal pergunta, a primeira coisa que deve ser feita é uma análise de solo. Assim, conseguiremos determinar quais as necessidades exatas para garantir uma produtividade adequada e sem desperdiçar nutrientes. Além do mais, entender qual é a cultura a ser plantada e qual é o seu o momento. Em linhas gerais, temos que pensar no conceito 4C:

  • Fonte certa: busca por fontes adequadas à necessidade de cada cultura.
  • Dose certa: ajuste da quantidade de fertilizante com a necessidade da cultura;
  • Época certa: disponibilização os nutrientes de acordo com a demanda da cultura;
  • Lugar certo: onde os nutrientes são necessários e podem ser absorvidos.

É importante ressaltar que nem sempre a fertilização com NPK para plantas é a mais adequada. Muitas vezes, determinada planta está com deficiência de um outro macro ou micronutriente, por isso o manejo do solo precisa ser muito bem estudado.

Na agricultura, é fundamental entender que a planta necessita de diversos nutrientes e somente um profissional da área conseguirá fazer a recomendação ideal para sua cultura. Nesse sentido, procure um profissional e busque realizar adubações de forma racional, considerando uma relação harmoniosa no aumento da produção agrícola x meio ambiente.

Na Mosaic Fertilizantes, trabalhamos com um time altamente especializado que está disponível para apoiar no aumento da produtividade em campo com as mais altas tecnologias de fertilizantes. 

Quer saber mais? Fale com nossos especialistas!

Nutrição de Safras – o portal oficial de conteúdo agrícola da Mosaic Fertilizantes.

Loading...