Blog Nutrição de Safras

Nutrição mineral: cana-planta e cana-soca

Apesar de se tratar da mesma cultura, o manejo da nutrição mineral da cana-de-açúcar não é padronizado para cana-planta e cana-soca. Um fator importânte que devemos levar em consideração é a fase de desenvolvimento das plantas no campo, pois a exigência nutricional da cana tende a mudar de acordo com seu estádio fenológico.

Para quantificar os nutrientes necessários se fazem essenciais algumas perguntas, tais como:

O que aplicar?

É fundamental fornecermos os nutrientes em teores adequados, via adubação, como macronutrientes: nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e enxofre, e também os micronutrientes: boro, cobre, manganês, zinco e molibdênio.

Quanto aplicar?

Devemos sempre nos atentar aos teores de nutrientes absorvidos e exportados pela cultura, expressos em tabelas de extração e exportação. São através delas que teremos base para determinar a quantidade de nutrientes a serem aplicados em função da expectativa de produtividade. Vale lembrar que a extração é a quantidade de nutriente total que a planta absorve durante o ciclo completo. Já a exportação é a quantidade de nutriente que está no colmo, portanto será retirada da área com a colheita.

Sendo assim, de acordo com algumas tabelas existentes na literatura, para uma produtividade de 100 toneladas de colmos por hectare a quantidade extraída de nutrientes é: 145 kg de N; 55 de P2O5 e 255 de K2O, bem como requer também quantidades elevadas de S (enxofre) e Mg (Magnésio).

Dentre as principais diferenças no manejo da fertilização, estão a menor dosagem de N em cana-planta devido a associação de bactérias fixadoras de N2 do ar e ao açúcar presente no tolete, o que ocasiona um aporte adicional de N e a necessidade de altas quantidades de fósforo e potássio. No caso da cana-soca, como não existe mais está associação, faz-se necessário uma adubação com altos teores de N e potássio e menor de fósforo. Importante ressaltar que nesta relação do adubo N/K2O é importante trabalhar com fórmulas entre 1,0/1,3 a 1,0/1,5.

Quando aplicar?

O aproveitamento efetivo da adubação está relacionado com a época de aplicação, portanto, deve-se levar em consideração a fase da cultura (cana-planta e cana-soca), o comportamento do nutriente no solo, a “idade” do canavial e a distribuição das chuvas.

Como aplicar?

Na adubação da cana-de-açúcar a aplicação dos fertilizantes deve ser feita basicamente via solo. Lembrando destes quesitos e tendo um bom manejo da cultura podemos alcançar maiores produtividades, para isso conte com os Fertilizantes de Performance da Mosaic Fertilizantes, produtos exclusivos e com selo de qualidade Mosaic!

 Thiago Sylvestre – Departamento de Serviços Técnicos

Bibliografia utilizada:

Vitti, G.C.; Queiroz, F.E.C.; Otto, R.; Quintino, T.A. Nutrição e Adubação da Cana-de-açúcar, 2005, Bebedouro.p.9-11.

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar