A Mosaic Fertilizantes, uma das maiores empresas produtoras de fosfato e potássio combinados, lançou o Índice de Poder de Compra de Fertilizantes (IPCF).

O objetivo do IPCF é mostrar, de maneira geral, como está o poder de compra de fertilizantes a partir da relativização dos preços dos fertilizantes face aos preços das principais commodities agrícolas. Ou seja, a partir do índice, o produtor consegue saber se os preços dos fertilizantes estão mais baratos ou mais caros dentro da série considerada para o cálculo.

Vale lembrar que o IPCF não substitui as ferramentas de relação de troca, onde as informações são regionalizadas por culturas. Além disso, este índice também não possui a intenção de se tornar um indexador de preços.

O IPCF é divulgado mensalmente e pode ser consultado através do site da Mosaic Fertilizantes.

E como o IPCF é calculado?

O cálculo do IPCF é feito a partir da relação entre indicadores de preços de fertilizantes (MAP, SSP, Ureia e MOP) e de preços de commodities (Soja, Milho, Açúcar e Etanol e Algodão). Este cálculo é feito a partir do ano base de 2017. Vale lembrar que:

-> O IPCF menor que 1,0: indica que os fertilizantes estão mais acessíveis do que 2017;

-> O IPCF maior que 1,0: indica que os fertilizantes estão menos acessíveis do que 2017.

Conheça a Linha Excellen da Mosaic

Qual a metodologia para este cálculo?

Para o cálculo dos preços dos fertilizantes no porto, a fonte é a CRU, empresa de consultoria internacional.

Já os preços das commodities são calculados pela média do mercado brasileiro, em dólar, a partir das publicações da Agência do Estado e CEPEA.

Os valores de MAP, SSP, Ureia e MOP são ponderados pelas participações respectivas de uso no país. Enquanto que as commodities (Soja, Milho, Açúcar e Etanol, Algodão) são ponderadas pelo consumo de fertilizantes.

O IPCF também é ponderado pelo câmbio, que considera 70% dos fertilizantes (custo) e 85% das commodities (receita).

Loading...