Agricultura sustentável: como a agricultura de precisão contribui para a sustentabilidade agrícola?

4 jan, 2024
Marcel F. Souza
- Tempo de Leitura: 5 minutos
Imagem de um campo com plantação e no fundo energia a eólica.

Com um mercado cada vez mais exigente em consumir produtos oriundos de uma agricultura sustentável as cadeias produtivas estão se desenvolvendo nos setores ambientais e sociais, fazendo que a pauta de sustentabilidade seja fator decisivo para os negócios.

A ONU projeta que até 2030 a população mundial vai ser de 8,5 bilhões de pessoas, quando observamos esse grande crescimento populacional pensamos nos desafios na produção de alimentos para conseguir atender toda demanda, além disso, o desafio é ainda maior quando falamos de produzir cada vez mais, mas com uma maior sustentabilidade.

Hoje temos diversas ferramentas que contribuem para maior sustentabilidade, dentre elas está a agricultura de precisão que busca olhar para o solo com mais atenção e otimizar o uso dos recursos. Neste artigo, abordaremos este tema.

Qual a importância da agricultura para um desenvolvimento sustentável?

A ideia de agricultura sustentável está atrelada a diversas práticas e para melhorar a compreensão precisamos entender um pouco mais sobre o que significa sustentabilidade.  Quando falamos em ser sustentável queremos desenvolver atividades em quaisquer setores de forma que traga benefícios para a sociedade como um todo e tenha o menor impacto ambiental possível em qualquer setor.

Quando focamos na agricultura, a importância e as ideias de sustentabilidade se tornam ainda mais evidentes. Afinal, é através de uma agricultura sustentável e equilibrada que podemos produzir mais alimentos e causar menos impactos ao meio ambiente.

Como a agricultura pode ser sustentável?

Quando falamos de sustentabilidade, a relação com a agricultura é direta. Existem várias práticas eficientes que os profissionais do agronegócio podem adotar, mesmo que indiretamente, para contribuir para melhores resultados. Dentre elas destacamos alguns como o uso dos recursos hídricos de forma consciente, aplicação de defensivos agrícolas certificados e recomendados por um Engenheiro Agrônomo, uso dos fertilizantes de forma correta entre várias outras que geram menos impacto ao meio ambiente mesmo que direto ou indiretamente.

Exemplificando com uma ação que foi analisada e reconhecida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a agricultura brasileira, nos últimos anos, teve como foco produzir mais na mesma área. Consequentemente, temos um melhor aproveitamento dos recursos naturais e um menor impacto ambiental devido à melhor exploração de áreas já produtivas.

Quais são as práticas sustentáveis na agricultura?

Atividades desempenhadas diariamente contribuem para um fortalecimento e desenvolvimento de uma agricultura sustentável, algumas delas ganham destaque pois evidenciam que podemos produzir mais com menos impacto.

Uso eficiente das terras produtivas e preservação dentro das propriedades

Quando observamos essas estratégias a prática de melhor uso das áreas disponíveis e preservação dentro das propriedades rurais tem grande importância, até o ano de 2018 de acordo com dados compilados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) o Brasil possui 25,6% de áreas destinadas a preservação dentro das propriedades rurais cadastradas.

Expressão gráfica da quantificação territorial dos diversos usos e ocupação das terras e das áreas destinadas à preservação e proteção da vegetação nativa no Brasil.

Legenda: Expressão gráfica da quantificação territorial dos diversos usos e ocupação das terras e das áreas destinadas à preservação e proteção da vegetação nativa no Brasil.

Manejo fitossanitários: controle biológico e manejo integrado de pragas

O uso eficiente de defensivos químicos é fundamental para o controle de pragas, no manejo integrado é feito o monitoramento frequente das lavouras para a melhor tomada de decisão para eficiência e assertividade das aplicações químicas.

Já falando do controle biológico é uso de recursos naturais para diminuir o uso de produtos químicos e favorecer a produção.

Sistemas integrados

Essas práticas favorecem o aproveitamento da área para produzir mais cultivos diversificados, como por exemplo, integração lavoura, pecuária e floresta (ILPF) e a interação lavoura e pecuária (ILP). Essas duas práticas favorecem o uso do solo sem necessidade de se explorar novas áreas, intensificando o aproveitando dos recursos naturais de forma a ter formas alternadas e uma melhor rentabilidade no menor espaço, além da rentabilidade pela diversidade de culturas diminui a pressão para o controle de pragas favorecendo a diminuição do uso de manejos fitossanitários.

Além desse temos outros sistemas de manejos entre culturas que favorece a rentabilidade como o Método Inter Ocupacional Simultâneo (MEIOSI), que foi desenvolvido na UNESP na década de 80 que consiste em realizar o plantio de cana-de-açúcar na própria área onde vai ser cultivada, com maior espaçamento entre as linhas de plantio, o espaço ocioso no meio é usado para cultivo de culturas de ciclos mais curtos e boa rentabilidade como soja, milho e amendoim, sendo assim as linhas de cana-de-açúcar são utilizadas como viveiros e após a colheita da cultura entre as linhas é usado os toletes para plantar a cana.

Esquematização do sistema MEIOSI

Legenda: Esquematização do sistema MEIOSI. Fonte: Revista Canavieiro apud Rosseto e Santiago (2009)

Manejos do solo

Quando falamos de proteção, conservação e aproveitamento dos recursos do solo existe práticas como plantio direto, plantas de coberturas e agricultura de precisão que favorecem a agricultura sustentável. Os recursos como plantio direto e plantas de cobertura utiliza do próprio material vegetal para evitar erosões, favorecer o manejo fitossanitário e contribuir na saúde do solo contribuindo para a mineralização de nutrientes.

Já a agricultura de precisão visa utilizar o manejo correto dos nutrientes favorecendo o aproveitamento deles no solo e a reposição correta via fertilizantes.

Como a agricultura de precisão pode ajudar a reduzir os danos ambientais?

Muitas pessoas que conhecem ou já ouviram falar em agricultura de precisão, acreditam que suas práticas são focadas em economizar, mas a economia é uma das várias consequências da prática.

Na realidade, a principal função da ferramenta é otimizar o uso de insumos e aproveitar os recursos do solo sem causar impactos ambientais. Com a agricultura de precisão, o uso dos fertilizantes é mais preciso, garantindo que a disponibilização de nutrientes seja equilibrada. A reposição no solo através da adubação é suficiente para não exaurir o solo e evita a adição excessiva de nutrientes, que poderiam desequilibrar os níveis no solo e contaminar o lençol freático.

Uma das práticas dentro da agricultura de precisão é a taxa variável, que permite fornecer o fertilizante com uma variação da dosagem na área de plantio trazendo um equilíbrio e aproveitamento do fertilizante. Além dessa estratégia podemos usar um termo bem conhecido entre os profissionais das áreas de agricultura que é o manejo 4Cs, que consiste no uso efetivo, consciente e economicamente viável dos fertilizantes, eles são local Correto, época Correta, fonte Correta, e dose Correta.

Todas essas práticas tornam a produção mais efetiva e traz o equilíbrio que uma agricultura sustentável necessita.

CTA Mosaic

 

 

 

Este artigo foi útil? Avalie

Média: 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhuma avaliação até o momento! Seja o primeiro a avaliar este post.

Loading...