NPK: O ABC da nutrição agrícola

por | out 24, 2019 | Manejo e Práticas Agronômicas | 29 Comentários

Para termos saúde, precisamos comer diversos alimentos diariamente. Fazemos isso em busca dos nutrientes que cada um deles nos fornece, pois todos são importantes para o nosso corpo.

As plantas também precisam de nutrientes para ficarem saudáveis, especialmente os chamados macronutrientes. Dentre estes, destaca-se a mistura comumente chamada NPK (Nitrogênio, Fósforo e Potássio). Esses nutrientes são essenciais para todas as culturas e por isso pelo menos um deles está sempre presente na fórmula dos fertilizantes.

Você já parou para pensar em todos os nutrientes que você come diariamente e quais são os mais importantes para sua saúde?

O Brasil é o quarto maior mercado de fertilizantes, ficando atrás apenas de China, Índia e Estados Unidos. Atualmente, 80% da matéria-prima (NPK) dos fertilizantes é importada e o Brasil deve atingir a marca histórica de 36,2 milhões de toneladas vendidas em 2019, segundo a Associação Nacional para a Difusão de Adubos (ANDA). Impressionante! Esse valor está vinculado ao aumento do uso de tecnologias no campo, que  fizeram a utilização dos adubos químicos crescer 450% no país nos últimos 30 anos (1989-2019). Nesse mesmo período o aumento médio mundial não passou de 50%.

Agora, vamos conhecer mais sobre cada um desses nutrientes essenciais para a agricultura brasileira:

Nitrogênio (N)

Nutriente de extrema importância para as plantas, fundamental para a fotossíntese, respiração, e cresimento de folhas. Além disso, o N auxilia no desenvolvimento radicular, ou seja, crescimento de raízes para absorção de outros nutrientes.

Quando uma planta apresenta deficiência de Nitrogênio, ela fica com as folhas amareladas e sinais de crescimento lento, causando redução de produtividade, no caso de frutíferas.

Como o Nitrogênio auxilia na fase inicial da planta, ou seja, na estruturação, ele geralmente é recomendado nas primeiras fases de desenvolvimento da planta, logo após o plantio.

Fósforo (P)

Esse nutriente também é fundamental para as plantas pois é responsável pelo controle hormonal no crescimento das plantas. Ele auxilia na floração, na fixação de N, estimula a produção de frutos e sementes, e dá maior resistência ao caule ou talo. Ele é essencial para a planta, do início ao fim do ciclo.

A falta de Fósforo prejudica no crescimento, na quantidade e tamanho dos frutos, causando o atraso na floração. Quando a cor das folhas mais velhas ficam avermelhadas, pode ser devido a deficiência desse nutriente. Sempre indicamos procurar um profissional para auxiliá-lo na identificação.

Potássio (K)

Esse nutriente oferece maior controle à planta de suas funções vitais, atuando em sua estrutura celular. Promove maior absorção  da água, manutenção do pH das células e tecidos, tornando as plantas mais resistentes a pragas e doenças. É essencial para o tamanho, cor e sabor dos frutos.

A deficiência de Potássio pode causar atraso na floração, frutos menores e raízes com crescimento comprometido. A necrose na borda das folhas e o acamamento das plantas podem ser sintomas da falta desse nutriente. Mas fique atento as doses adequadas para cada cultura.

Esses três macronutrientes (NPK) são muito importantes para o desenvolvimento da planta como acabamos de ver, mas existem outros nutrientes como cálcio, magnésio, enxofre, e micronutrientes que também auxiliam no aumento da produtividade. Vamos falar sobre eles nos próximos blogpost, fiquem ligados!