Conservação do solo: qual a importância dessa prática

27 abr, 2023
Déborah Fernandes
- Tempo de Leitura: 5 minutos
Conservação do solo: solo conservado

O solo é a base da produção de alimentos no mundo e a sua conservação é essencial para garantir a segurança alimentar da população. No entanto, as práticas agrícolas insustentáveis causam a degradação do solo.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), cerca de 33% das terras do mundo estão moderadas ou altamente degradadas, representando um risco para a sustentabilidade ambiental e a segurança alimentar.

Nesse contexto, é importante entender as práticas que visam o manejo responsável das terras cultiváveis, evitando erosão e promovendo o uso eficiente dos recursos.

Ao adotar estratégias de conservação do solo, é possível garantir a sustentabilidade da produção agrícola, proteger a biodiversidade e diminuir os impactos negativos ao meio ambiente.

Entenda, neste artigo, o que é e qual a importância da conservação do solo e conheça três estratégias de preservação para aplicar em sua produção.

O que é conservação do solo?

A conservação do solo se refere a um conjunto de práticas que visam preservar e proteger a qualidade da terra para garantir sua sustentabilidade a longo prazo. Essas práticas podem incluir a adoção de técnicas de manejo do solo como rotação de culturas, adubação verde, plantio direto, entre outras.

Essa necessidade da preservação surgiu em resposta à degradação causada pela agricultura realizada de forma extensiva, desmatamento, mineração e outras atividades humanas que alteram sua estrutura.

A partir do século XX, o problema de erosão do solo começou a ser reconhecido como uma ameaça à produção agrícola, e diversos cientistas e agrônomos começaram a pesquisar soluções para preservar a qualidade do solo.

Hoje, o manejo da conservação do solo é uma preocupação global, uma vez que a degradação pode afetar a produção de alimentos, a biodiversidade, o fornecimento de água e o clima.

Por que a conservação do solo é importante?

Em primeiro lugar, é importante entender que o solo é uma comunidade complexa, habitada por vários organismos vivos que desempenham um papel importante em sua fertilidade.

Com o manejo e conservação do solo, essa biodiversidade é mantida, promovendo a saúde do solo por meio de várias técnicas como adição de matéria orgânica, o equilíbrio, restauração e fortalecimento da microbiota do solo, além da melhoria da infiltração da água e do arejamento.

Assim, com as condições adequadas para esses microrganismos, a vegetação pode prosperar, uma vez que eles têm relação com a disponibilidade de nutrientes para as plantas através da ciclagem da matéria orgânicas. Em síntese, a conservação do solo é uma questão vital para a saúde de todo o ecossistema terrestre.

Estratégias para conservação do solo

A conservação do solo é uma estratégia essencial para promover um equilíbrio ecológico saudável em nossos sistemas produtivos. No entanto, a resiliência natural da terra é um processo bastante lento.

Por conta disso, a preservação do solo requer uma série de medidas e práticas destinadas a restaurar as condições de equilíbrio e sustentabilidade que existiam originalmente em um ambiente natural. A seguir, conheça as principais.

Adubação Verde

A técnica da adubação é uma verdadeira aliada da agricultura sustentável, já que promove a fertilidade do solo ao disponibilizar nutrientes para o solo, que serão posteriormente utilizados pelas plantas.

Na prática, o processo de adubação verde envolve o plantio de espécies vegetais específicas, como leguminosas, gramíneas e outras plantas conhecidas por fixar nitrogênio no solo, além de melhorar a estrutura e aeração. 

Após plantadas, essas plantas crescem e se desenvolvem até um determinado estágio, quando são então cortadas e deixadas sobre o solo, onde são deixadas em decomposição. Isso permite que os nutrientes contidos nas plantas, como nitrogênio, fósforo e potássio, sejam liberados no solo, melhorando a fertilidade e nutrição das culturas seguintes.

Com isso, essa prática se torna uma alternativa viável para minimizar os impactos da agricultura extensiva, proporcionando maior fertilidade aos solos agrícolas. A seguir, confira algumas vantagens dessa técnica.

  • Melhora a fertilidade do solo: a adubação verde contribui para aumentar a matéria orgânica do solo e fornecer macro e micronutrientes para as plantas;
  • Reduz a erosão do solo: a cobertura vegetal das espécies de adubos verdes protege o solo da erosão causada pela chuva e pelo vento;
  • Aumenta a biodiversidade: essa técnica favorece a diversidade de microrganismos
  • Reduz o uso de defensivos: o solo rico em nutrientes confere uma melhor nutrição para as culturas agrícolas, que ficam mais resistentes a pragas e doenças.

Apesar de todas essas vantagens, a adubação verde exige mão de obra e investimento inicial para compra de sementes e manutenção das plantas. E é essencial escolher espécies que se adaptem bem às condições climáticas da região e do solo.

Os produtores que optam pela adubação precisam escolher as espécies conforme as características do local, assim como definir o momento certo da semeadura, considerando o ciclo da cultura principal.

Rotação de culturas

A rotação de culturas consiste na alternância de diferentes espécies vegetais em uma mesma área para melhorar a fertilidade do solo, reduzir a incidência de doenças e pragas, aumentar a produtividade e diminuir os impactos ambientais.

Dentre suas vantagens, destacamos a melhora na estrutura do solo, o aumento da capacidade de retenção de água, a redução da erosão, além de aumentar a qualidade e a quantidade da produção.

No entanto, a técnica necessita de um planejamento mais complexo para o plantio. Deste modo, exige tempo e um custo adicional na preparação do solo e manejo de diferentes espécies. Além disso, existe a possibilidade de doenças que afetam uma cultura atingirem a cultura seguinte.

Para fazer a rotação de culturas, o produtor seleciona as espécies que serão cultivadas de acordo com alguns critérios, como:

  • necessidade nutricional;
  • suscetibilidade a doenças e pragas;
  • clima da região;
  • tipo de solo;
  • demanda do mercado.

Em geral, é indicado que sejam cultivadas espécies que fixam nitrogênio no solo, como leguminosas, e que tenham diferentes sistemas radiculares e ciclos de crescimento. Em relação ao tempo de rotação, varia conforme a região e a escolha da cultura.

Plantio direto

O sistema de plantio direto é uma técnica inovadora que se tornou essencial na sustentabilidade dos sistemas agrícolas, especialmente nos solos tropicais do Brasil. Com este método, é possível produzir alimentos sem comprometer a saúde do solo.

Nesse contexto, o grande benefício da técnica é que ela visa à conservação do solo, evitando seu esgotamento e garantindo que ele permaneça saudável e equilibrado. Isso ocorre graças ao fato de que, neste sistema, a camada do solo é preservada e a matéria orgânica é mantida na superfície.

Com isso, os produtores conseguem uma produção mais sustentável e com menos uso de insumos, assim como reduzem o custo de produção, uma vez que não há necessidade de arar o solo ou de aplicar grandes quantidades de fertilizantes.

Porém, como toda técnica, este método também apresenta algumas desvantagens. Uma delas é que pode haver um aumento na população de pragas e doenças que encontram um ambiente favorável para se proliferar.

Além disso, o controle de plantas invasoras pode ser mais difícil neste método, o que pode prejudicar o rendimento da produção. Para implementá-lo, é necessário adotar algumas práticas, como o uso de plantas de cobertura.

Preservar o solo é essencial

A conservação do solo é uma questão urgente e essencial para a manutenção agrícola sustentável e para a preservação do meio ambiente. Afinal, a degradação da terra resulta em inúmeras consequências negativas como:

  • perda da biodiversidade;
  • contaminação das águas subterrâneas;
  • diminuição da produtividade.

Felizmente, existem diversas estratégias eficientes para preservar o solo, como as que você conheceu aqui. Cada uma delas tem suas vantagens e desvantagens, mas todas contribuem para o equilíbrio ecológico e a sustentabilidade do sistema produtivo.

Conheça a variedade de produtos que a Mosaic Fertilizantes tem para você!

CTA Mosaic

Este artigo foi útil? Avalie

Média: 5 / 5. Número de votos: 10

Nenhuma avaliação até o momento! Seja o primeiro a avaliar este post.

Loading...